Our Blog

O mirante, que estava coberto por um telhado precário, foi restaurado. O IORM instalou guarda corpos, permitindo hoje uma visão de praticamente 360° da cidade de Orlândia, intenção original do proprietário que construiu o prédio, que em breve, será a sede do Núcleo Cultural Oswaldo Ribeiro de Mendonça.

As obras de revitalização do Castelinho, que será a sede do Núcleo Cultural Oswaldo Ribeiro de Mendonça em Orlândia, estão aceleradas e já caminham para sua etapa final.

A construção é uma das mais antigas de Orlândia. Localizada na área central da cidade, na esquina da Avenida do Café com a Rua 4, ajuda a contar a história da cidade. E é justamente neste espaço que o Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça instalará seu Núcleo Cultural.

Nesse Centro, o IORM desenvolverá atividades como exposições, trabalhos manuais, café filosófico, que farão parte do dia a dia deste espaço que será referência na região nas áreas de dança, teatro, música, artesanato, literatura, culinária regional, desenho, pintura,  artes plásticas e cinema, sediando manifestações artísticas e culturais, garantindo o acesso gratuito da população, a participação, a formação cultural, educacional e o resgate de técnicas artesanais produzidas na região.

O projeto de revitalização é assinado pelo arquiteto Ricardo Del Lama e conta com serviços técnicos de João Carlos Bacellar, Evandro César Rodrigues, Mário Ugo B. Moni, Dalmo Branco Júnior. O paisagismo é assinado pelo professor Maurício Estelita. A equipe pesquisou referências da arquitetura da época e da história da própria edificação para realizar o trabalho.

É interessante observar, pouco a pouco, o prédio ganhando vida. Os muros externos do Castelinho, por exemplo, acabam de ser reconstruídos de acordo com o modelo original da construção, datada de 1916. Já estão em construção os muros que cercarão o Espaço Multifuncional.

A cozinha que será destinada às aulas dos cursos de culinária regional está pronta, faltando apenas armários e equipamentos.

Aqui o antigo e o novo dialogam. O prédio receberá um bicicletário para estimular o uso de transporte sustentável.

A definição das cores para a pintura final do prédio principal foi objeto de profundo estudo pela equipe de obras. A pintura está em andamento e já pode ser vista na parte externa, parcialmente acabada no mirante.

1

Mirante

Telhado, calhas e condutores foram integralmente refeitos. O mirante, que estava coberto por um telhado precário, foi restaurado. A marca do IORM já está gravada em pastilhas, no piso impermeabilizado.

A instalação do guarda corpos no mirante permitirá que os visitantes tenham uma visão de praticamente 360° da cidade, atendendo à intenção original do proprietário que construiu o Prédio.

Assoalhos e forros foram restaurados ou reconstruídos. As esquadrias de madeira estão em fase final de restauração.

As instalações Hidráulicas e Elétricas estão em fase de testes e ajustes, totalmente refeitas, utilizando equipamentos de baixo consumo de energia, e alta eficiência energética e durabilidade, como lâmpadas LED.

Os sanitários estão prontos. Um vestiário foi construído no porão, e recebeu sanitários masculinos e femininos e chuveiros, que serão usados pelos participantes do curso de culinária e colaboradores da lanchonete a ser instalada no prédio. Estarão também disponíveis para uso como camarim para as apresentações no Espaço Multifuncional. O Espaço Multifuncional está em andamento, com a construção de paredes laterais, fundações e muros de arrimo, sendo preparado para receber a estrutura metálica.

A empresa LTAndrade é proponente da iniciativa. O IORM será o gestor das atividades culturais que serão desenvolvidas nesse Núcleo. O imóvel foi adquirido pelo IORM em 28 de fevereiro de 2008, com recursos doados pelo Bradesco. O projeto do novo espaço cultural foi aprovado pelo Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo em outubro de 2012, e captou recursos por meio de leis de incentivo e doações das empresas Usina Colorado e Campagro.

O prédio anexo, inicialmente não incluído na reforma, está em fase final de liberação de recursos, com projetos e planilhas prontas, devendo ter sua reforma iniciada em março.

2

Comments ( 0 )

    Leave A Comment

    Your email address will not be published. Required fields are marked *